quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Como Vivekananda perdeu sua chave

O único antídoto para o abuso do poder psíquico é o amor. Do contrário, todo poder corrompe. Pode ser riqueza, pode ser prestígio, pode ser política, ou pode ser poder psíquico, não faz diferença. Sempre que você se sentir poderoso, se não tiver amor como um antídoto, seus poderes irão se tornar uma calamidade para os outros, uma maldição; porque o poder nos cega.

O amor abre os olhos, amor limpa a visão... sua percepção fica nítida e clara.

No Ashram de Ramakrishna em Calcutá, havia muitos discípulos e Vivekananda era o mais intelectual. Havia um homem bem simples que também era um discípulo. Seu nome era Kalu, um homem pobre. Ele era tão leal, religioso, emotivo que tinha no seu quarto centenas de estátuas de deuses diferentes. De manhã cedo ele tomava banho no Ganges e depois ia adorar esses deuses. É claro que todos tinham que ser venerados com a mesma intensidade; senão um deles poderia sentir-se ofendido. Então Kalu gastava todo o seu dia com isso, e os outros riam dele: “Que você está fazendo? Apenas um deus é suficiente!”

Vivekananda era o mais proeminente para debochar de Kalu, dizendo: “Você é um estúpido, são apenas estatuetas de pedra! E você está desperdiçando sua vida.”

Um dia Ramakrishna deu a Vivekananda um certo método de conscientização para praticar: “Vá para seu quarto, feche a porta e pratique-o.” Quando Vivekananda atingiu um certo estágio, sentiu-se tão cheio de poder que teve uma idéia: “Se eu disser para Kalu, nesse momento, apenas dentro de mim mesmo, ‘Pegue todos os seus deuses e jogue-os no rio Ganges', ele irá obedecer.”

E ele fez isso, ele disse, em seu próprio quarto, apenas para si mesmo: “Kalu, junte todos os seus deuses e jogue-os no Ganges.” Kalu reuniu todos os seus deuses dentro de uma sacola grande e estava arrastando a sacola pela escadaria quando Ramakrishna chegou até ele e disse, “Que você está fazendo?”

Kalu disse, “De repente ouvi uma voz que deve ter vindo do próprio Deus, pois não havia mais ninguém no quarto, e a voz dizia: ‘Kalu, pegue todos os seus deuses e jogue-os no Ganges.’ Era uma voz tão poderosa que não pude duvidar dela.”

Ramakrishna disse, “Venha. Traga seus deuses de volta e lhe mostrarei de onde veio a voz.” Ele bateu na porta de Vivekananda. Vivekananda saiu e Ramakrishna estava muito zangado. Ele disse, "Vivekananda, essa é a última coisa que eu esperava de você. Eu tinha lhe dito para ficar mais perceptivo, e não que arruinasse a vida de um pobre homem. Ele tem um coração tão puro, tão amoroso, um homem tão bonito... como você pôde fazer isso? Doravante, você jamais terá esses poderes de novo.”

Conta-se que Vivekananda morreu sem atingir a iluminação. Ainda que ele tenha se tornado o sucessor de Ramakrishna porque era um grande orador, tinha um certo carisma e influenciava as pessoas, ele mesmo morreu pobre, sem nenhum conhecimento. E isso só aconteceu porque ele, tendo obtido algum poder, decidiu usá-lo para perturbar um homem, não usou seu poder para ajudar, mas sim para prejudicar alguém.

sábado, 25 de dezembro de 2010