sábado, 24 de setembro de 2011

A Estrada, Sempre Ela

Ar parado tem cheiro de mofo.
O Vento não pertence a lugar algum.

Just Do It

ENTER THE VOID ENTER THE VOID ENTER THE VOID ENTER THE VOID
ENTER THE VOID ENTER THE VOID ENTER THE VOID ENTER THE VOID
ENTER THE VOID ENTER THE VOID ENTER THE VOID ENTER THE VOID 
ENTER THE VOID ENTER THE VOID ENTER THE VOID ENTER THE VOID
ENTER THE VOID ENTER THE VOID ENTER THE VOID ENTER THE VOID 
ENTER THE VOID ENTER THE VOID ENTER THE VOID ENTER THE VOID



Mau Presságio

Pressinto uma nuvem negra se aproximando.
Posso sentir.




Sinto um pouco de medo.
Começo a considerar causas e consequências.




É demais, não sei se terei forças para aguentar.
Penso em fugir.
O desespero se apossa de minh'alma.




Está chegando perto e eu não posso fazer nada...
A sensação de impotência é sufocante.




Sinto que vem aí...




O VERÃO DO SERTANEJO UNIVERSITÁRIO!




I Love You...

... Schizandrol A!

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

The Severed Garden

"Alguns coveiros costumam contar que durante a exumação de cadáveres, com o objetivo de desocupar sepulturas e realojar ossos em gavetas, algumas vezes dá-se um fato surpreendente: o corpo continua inteiro. Ao que parece, indivíduos que em seus últimos meses de vida fizeram uso intensivo de medicamentos não são atraentes para os vermes, que executam o trabalho de limpeza dos ossos. A química acumulada na carne os afasta, e produz tal espetáculo bizarro."

Com base no texto acima, discorra sobre:
a) Inutilidade
b) Desperdício

Resposta:

Paciente: Srª Caso Bastante Comum
Idade: 85 anos
Grau de dependência III
Não deambula, AVP em MSD

Prescrição semanal

Dieta Enteral XXX Tetra Slim 1000ml – 7 unidades
Dieta Enteral Proteica YYY – ½ lata
Agulha 25 X 7 – 20 unidades
Agulha 40 X 12 – 7 unidades
Álcool Swab – 6 unidades
Caixa para material contaminado 7 litros – 1 unidade
Colar fixador para traqueo – 2 unidades
Equipo para bomba  - 7 unidades
Fralda descartável adulto – 6 unidades
Frasco para dieta 300ml – 14 unidades
Gaze 7,5 X 7,5cm pct 10 um – 7 unidades
Lancetador – 21 unidades
Luva de procedimento com 100 unidades – 2 caixas
Luva plástica estéril – 80 unidades
Máscara de nebulização para traqueo – 1 unidade
Seringa 1ml – 1 unidade
Sonda de Aspiração Traqueal - 80 unidades
Seringa 60ml com Ponta para Cateter - 3 unidades

Medicação:
Controlado anticonvulsivante Y - 1 caixa
Controlado Antidepressivo X - 1 caixa
Medicamento para Alzheimer - 14 comprimidos
Sachê de fibras - 7 unidades
Antiarrítmico - 14 unidades
Controlado hipnótico Z - 1 caixa
Medicamento de proteção da mucosa das vias respiratórias - 7 sachês
Vitaminas diversas - 7 comprimidos
Óleo antiescaras - 2 frascos
Pomada antiassaduras - 1 tubo
Medicamento antidiabético - 7 comprimidos
Diurético - 7 comprimidos
Redutor de colesterol - 7 comprimidos
Regulador da flora intestinal - 7 sachês.


I will not go!
Prefer a feast of friends
To the giant family.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

21 Dias

7:15 da manhã. Estou na estação, esperando o metrô
(calma Fernanda, é só por um mês),
rumo ao novo local de trabalho
(descontando feriado e fins de semana, 21 dias... menos mal).
O trem chega, lotado. Não quero chegar (muito) atrasada, então empurro a carne alheia de modo a acomodar a minha num  espacinho que me possibilita respirações curtas, uma vez que minha caixa toráxica fica compactada entre outras tantas. Me embrenhando entre corpos, não vou muito longe e fico ali mesmo, na porta.

Nossa, que legal! Percebo que não preciso sequer me segurar. É impossível cair. Igualmente, também é impossível levantar o braço, me virar, erguer uma perna... A qualquer momento posso começar a levitar, pois não duvido que deixe de existir espaço para os meus pés no chão...


Penso que aquele é um local perfeito para um serial killer. Munida de uma pistola com silenciador, caso eu matasse alguém em, vejamos, Triagem, só iriam descobrir o assassinato em Botafogo, quando o trem esvaziasse. O corpo iria ficar lá, de pé, como se ainda vida tivesse, e só cairia quando as escoras humanas que o mantém em posição de sentido se retirassem. Olho em volta. O rapaz obeso de suor pegajoso e frio, que ocupa o espaço de 2,5 seres humanos (mas que abuso!), parece perfeito.


Logo minha atenção se desloca para duas mulheres, que papeiam entre si. Não ouço o assunto pois
(louvado seja Deus!)
estou com fones de ouvido. Mas o hálito matutino das duas chega até meu rosto, e me faz pensar que é de extremo mau gosto falar antes das dez da manhã.

De repente me surgem diversas questões acerca do custo x benefício de viver no Rio de Janeiro. Eu quase nem vou à praia! Por que as pessoas gostam tanto deste lugar? O Rio de Janeiro continua lindo? Algum dia foi de fato lindo, ou será que o Gil nunca se deslocou para além do túnel? A opinião do Vinícius não conta, ele vivia bêbado e é comum chamar urubu de meu louro neste estado.

Botafogo, finalmente! Ganho as ruas, que se encontram paralisadas por diversos pontos de congestionamento. No carrinho novo da montadora coreana cabem duas pessoas. Se com a possibilidade de carregar cinco já está tudo parado, imagine se essa moda de moto com quatro rodas pega...
Chego no trabalho e pergunto aos que também precisam usar o serviço do metrô àquela hora da manhã, se nunca pegaram piolhos.
Essa é uma possibilidade que me parece bastante concreta.
As pessoas se divertem com a pergunta e riem, acostumadas. Começo a pensar que morar no Rio de Janeiro é tarefa para almas evoluídas e resignadas. Chego quase a admirar a espiritualidade elevada de meus novos colegas de trabalho... Pois se eu, sabendo que só terei que me submeter a isso por 21 dias, sinto-me gravemente desrespeitada, que dirá se não soubesse quando isso teria fim...

Creio que providenciaria a pistola.